Candidato a reeleição, Pedro Taques reafirma esperança em Mato Grosso melhor

Em seu discurso, o governador Pedro Taques candidato à reeleição pelo PSDB, destacou que quando assumiu o governo Pegou um Estado quebrado e com muito empenho e dedicação conseguiu levar Mato Grosso a um dos melhores do país em crescimento. “Amigos, hoje é a semente do amanhã”, iniciou o discurso do governador.

Taques destacou que é filho de uma professor e de um pequeno produtor, que sempre estudou em escola pública, passou por dificuldades, ainda assim passou num dos concursos mais concorridos do país, de procurador da República e sempre trabalhou no combate à corrupção, onde atuou em 12 estados brasileiros.

Lembrou que não se aposentou ou se licenciou do cargo, mas foi exonerado do Ministério Público, deixando um salário de quase R$ 30 mil, por mês. “Fiz isso porque eu amo o Estado de Mato Grosso”, disse o governador na convenção que lançou sua candidatura à reeleição.

Pedro ainda ressaltou que foi candidato quando muitos acreditavam que ele não seria eleito. No entanto, foi eleito em 2010, sendo eleito durante os quatros anos que ficou no Senado um dos melhores do país. Lembrou que poderia ter sido senador por mais quatro anos. “Mais uma vez o povo de Mato Grosso me chamou para essa caminhada [Governo de Mato Grosso]. Diziam que eu perderia as eleições de 2014, mas com muita dificuldade, como sempre tive em minha vida, ganhamos a eleição”, discursou.

Já no governo, lembra que pegou um Estado arrasado, endividado, quebrado, roubado. “Só nós sabemos o sacrifício que foi chegar até aqui. As dificuldades que nós tivemos, os problemas que nós tivemos, os erros que cometemos e os avanços que nós tivemos”, relatou.

Mudanças

Pedro pontuou os avanços de sua administração, lembrou que antes da sua caminhada Mato Grosso não tinha nenhuma escola em tempo integral, agora já são 40 escolas-plenas. Também o governo conseguiu atender 70 mil mato-grossenses na Caravana da Transformação, além de já ter entregue 15 mil títulos definitivos de propriedade, até o fim do ano o número será de 45 mil.

“Nós cuidamos dos mais humildes, daqueles que mais precisam, cuidamos dos mais pobres. Cuidamos daqueles que querem que Mato Grosso não possa voltar para trás. Sou governador desse Estado com muito orgulho, com muita honra. Muitos dizem que erramos, se olhar para os mais pobres, os que mais precisam for errar, eu quero dizer que quero continuar errando”, defendeu o governador, ressaltando o lado social de seu governo.

O governador continuou o discurso dizendo que nas dificuldades alguns ficaram para trás, outro desistiram e outros foram para a escuridão. “Mas nós não desistimos, porque eu tenho fé, tenho esperança que estou no caminho certo. Tenho fé, tenho esperança que nós vamos caminhar, porque Mato Grosso não pode olhar pra trás. Mato Grosso tem que seguir pra frente. Tenho fé, tenho esperança de que estamos no caminho certo”, destacou.

Depois se disse honrado por receber a confiança de vários partidos políticos.Pedro disse que o grupo vai estar junto para mostrar que é possível fazer política de forma certa. “Tentam me acusar de coisas que eu não fiz, tentam me desanimar, tentam dizer que nós fomos incompetentes, tentam dizer que nós estamos isolados. Mas não interessa porque mil cairão de um lado, dez mil do lado direito e nos atingirá”, disse o governador parafraseando o Salmo 91 da Bíblia.

Aos presentes, Pedro pediu que não desanimem, disse para não perderam as esperanças. “Não adianta vir com arrogância, não adianta virem com salto alto. Nós queremos ir à frente, Mato Grosso agora está 100% pronto? Ainda não está, precisamos avançar muito na saúde, precisamos melhorar muitas escolas, fazer muitas estradas, precisamos de mais segurança. Mas durante o tempo que assumi o Estado, Mato Grosso melhorou muito em todas as áreas”, afirmou.

Antes de encerrar o discurso, Taques lembrou a lealdade do candidato ao Senado, Nilson Leitão (PSDB) e da Juíza Selma, a outra candidata ao Senado pela chapa encabeçada por Pedro Taques e Rui Prado (PSDB), candidato a vice-governador.

Antes do fim de sua fala, o governador pediu um minuto de silêncio dos presentes e disse que aquele silêncio representava o silêncios dos que desistiram da caminhada. “Este silêncio é daqueles que não querem ajudar, este silêncio daquele que desiste, este silêncio é daquele que não tem fé, este silêncio é o silêncio daquele que não tem esperança. Eu tenho esperança, eu tenho fé, eu vou resistir e nós vamos fazer Mato Grosso seguir em frente”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here