Nortão: operação Abafa Amazônia aponta queda no ‘uso do fogo’ em áreas rurais; R$ 22 milhões em multas

Terminou, hoje, a operação “Abafa Amazônia” que busca reduzir crimes ambientais e queimadas em Vera, Feliz Natal, Nova Ubiratã, Paranatinga e Sorriso. De acordo com a secretaria estadual de Segurança Pública, a estimativa de multa para esta edição é de R$ 22 milhões, 6% a menos que o ano passado, onde foram aplicadas R$ 23 milhões. Fiscais constataram uso de fogo em 8, 9 mil hectares, redução considerável de -56%, se comparado com ano passado, onde foram 20,2 mil hectares. O uso de fogo com desmate atingiu 4, 3 mil hectares, em 2018, foram 8,3 mil. Por outra lado o desmate aumento de 1.093,38 para 5.187,88. Foram fiscalizados 18.462,79 hectares de área.

Em Vera (93 quilômetros de Sinop) três pessoas foram presas em flagrante com 105 metros estéril de lenha do bioma amazônica retirada de exploração ilegal. Duas carretas foram apreendidas. Foram lançadas R$ 14,2 mil e R$ 17,2 mil em multas para cada veículo. “A operação tem critérios muito forte na integração. Nós congregamos sete agências, 10 viaturas, vários meios auxiliares para que o objetivo fosse alcançado. Todas as áreas que foram levantadas foram fiscalizadas, então temos pontos positivos”, disse o tenente-coronel Dércio Santos. “A delegacia veio dar apoio ao Abafa, segurança as equipes em inserções em fazendas e nas situações de flagrantes a gente conduz para delegacia e o delegado dá os procedimentos”, expôs o investigador Luciano Padilha, da Delegacia Especializada do Meio Ambiente (DEMA).

A operação contou com 29 servidores públicos, dois drones, um repetidora transportável, bússola, bandeirola e GPS, foi utilizados um avião Air Tractor 802f do bombeiros e helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer). Participam da ‘Abafa Amazônia’ profissionais da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Politec, Ciopaer, Defesa Civil e da Sema.

O período de proibição de queimadas em Mato Grosso acaba em 15 de setembro. Mas pode ser prorrogado.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, foi a Sorriso para acompanhar o andamento da operação. Colniza é a cidade que mais registra focos em Mato Grosso, com 9,9% do total. É seguida por Aripuanã (5,6%), Feliz Natal (4,2%), Juara (2,8%), Rondolândia (2,7%), Nova Bandeirantes (2,7%), Apiacás (2,5%), Paranatinga (2,5%), União do Sul (2,5%) e Santa Carmem (2,4%). Em Cuiabá, onde o céu está tomado por fumaça, os satélites captaram 0,3% dos focos de queimada, a mesma quantia de Sorriso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here