Trecho da MT 338 é concluído, obra do asfalto na 242 atrasa e desvios apresentam atoleiros.

O trecho em obras para a recuperação da pavimentação asfáltica da MT 338 entre os municípios de Tapurah e Itanhangá foi concluído e já está liberado para o trânsito de veículos, restando apenas um último trecho que compreende aproximadamente 3 km que deve ser liberado nos próximos dias.

O recapeamento se fez necessário pois o asfalto apresentou problemas com muitos buracos sendo um grande entrave para a movimentação e transporte da produção agrícola da região.

Desde 2017 a obra vinha sendo cobrada pelos prefeitos de Tapurah Iraldo Ebertz, e o prefeito de Itanhangá Edu Pascoski por diversas vezes solicitaram à Sinfra a obra de recuperação do trecho .

A conclusão da obra de recapeamento chegou em um momento o período das chuvas se inicia e os desvios pela estrada de chão ao lado da rodovia já começava a apresentar inicio de atoleiro.

Outro trecho de pavimentação asfáltica que compreende 09 Km na MT 242 entre os municípios de Ipiranga do Norte e Itanhangá esta com o cronograma atrasado.

Dos 20 km que restam para ligar a rodovia com a MT 338 (estrada baiana) 09 Km esta em fase final de construção e sem previsão de ser liberado para a passagem de veículos e nesse momento os desvios pela estrada não pavimentada ao lado da rodovia apresentam buracos, poças de água enormes e pequenos atoleiros causando transtornos aos que trafegam pela região.

Os aterros improvisados nos desvios apresenta um grande perigo principalmente os caminhoneiros pois com as chuvas os caminhões não conseguem subir ir em determinados trechos causando a obstrução dos desvios.

Nossa reportagem conversou com os motoristas parados após uma chuva pesada, quando um caminhão obstruiu a passagem ao derrapar na subida de um aterro.

Segundo motorista André Gonçalves “é lamentável que um governo não conclua os trechos antes do período das chuvas pois todos nós que temos um pouquinho de conhecimento do que é estrada não pavimentada sabemos que nesse período o asfalto deveria estar pronto se não o asfalto pronto que liberem o aterro, porque somos obrigados a passar por esses desvios cheio de buraco e desnível, estraga caminhão, só prejuízo” disse André.

O trecho total licitado pelo governo é de 56 quilômetros, desses 09 km estão para serem liberados até novembro.

Segundo informações os 11 km restantes ainda sem aterro, poderá ser realizado pela concessionária que administra a rodovia entre Sorriso e Ipiranga de Norte, porém não há previsão para o inicio da obra.

Reinaldo Stachiw

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here